siga-nos no facebook

Mitos e verdades sobre o Câncer de Mama

Vamos falar sobre isso?

Com a chegada do mês de outubro, começa também a campanha Outubro Rosa, uma iniciativa que promove no mundo todo a conscientização sobre a importância da prevenção e detecção precoce do câncer de mama.

De acordo com dados do INCA (Instituto Nacional do Câncer) estimam-se 59.700 casos novos de câncer de mama no Brasil até 2019. Trata-se de um risco estimado de 56,33 casos a cada 100 mil mulheres.

Muito se fala sobre o tema na mídia, mas, a descoberta de um câncer de mama pode ser um choque para a maioria das mulheres. Você poderia dizer que conhece tudo sobre essa doença? Neste artigo vamos esclarecer alguns mitos e trazer algumas informações que podem ajudar na detecção precoce, aumentando assim as chances de cura e tratamento.

O que é Câncer de Mama?

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos.

Seus principais sintomas são:

  • Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido dos mamilos.

Quando descoberto em fases iniciais, em grande parte dos casos são grandes as chances de tratamento e cura. Todas as mulheres, independentemente da idade precisam estar atentas e saber o que é e o que não é normal em suas mamas, através do autoexame das mamas, por exemplo.

Além de estar atenta ao próprio corpo, também é recomendado que mulheres de 50 a 69 anos façam uma mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) a cada dois anos. Esse exame pode ajudar a identificar o câncer antes do surgimento dos sintomas.

Atualmente existem muitos fatores de risco que contribuem para que mais mulheres sejam diagnosticadas com câncer de mama. A maioria dos casos desta doença não são herdados (apenas cerca de 5% a 10%). Por isso, se você não possui histórico familiar da doença, existem maneiras de manter seu risco tão baixo quanto possível.

Mitos e verdades

Histórico familiar

As mulheres com parentes próximos que foram diagnosticados com câncer de mama apresentam maior risco de desenvolver a doença. Se você teve um parente feminino de primeiro grau (irmã, mãe e filha) diagnosticado com câncer de mama, seu risco é duplicado.

Genética

Cerca de 5% a 10% dos cânceres de mama são considerados hereditários, causados ​​por genes anormais passados ​​do pai para o filho. Essas alterações são identificadas através de um teste genético (para mais informações veja Teste Color em nosso site: https://gencellpharma.com.br/color/ ).

Histórico pessoal com câncer de mama

Se você foi diagnosticado com câncer de mama, você está de 3 a 4 vezes mais propenso a desenvolver um novo câncer na outra mama ou em uma parte diferente do mesmo peito. Esse risco é diferente do risco de retorno do câncer original (chamado risco de recorrência).

Radiação no peito ou rosto antes de 30 anos

Se você passou por tratamentos de radiação no tórax para tratar outro câncer (não câncer de mama), como a doença de Hodgkin ou o linfoma não Hodgkin, você tem um risco maior de desenvolver câncer de mama. Se a radiação foi utilizada no rosto em uma adolescente para tratar a acne, (algo que já não é feito), você possui um risco maior de desenvolver câncer de mama mais tarde na vida.

Mudanças na mama

Se você foi diagnosticado com certas condições de mama benignas (não câncer), você pode ter um maior risco de câncer de mama. Existem vários tipos de condições de mama benignas que afetam o risco de câncer de mama

Raça / Etnia

As mulheres brancas são ligeiramente mais propensas a desenvolver câncer de mama do que as mulheres afro-americanas, hispânicas e asiáticas. Mas as mulheres afro-americanas são mais propensas a desenvolver câncer de mama mais agressivo e de estágio mais avançado que é diagnosticado em uma idade jovem.

Estar acima do peso

As mulheres com sobrepeso e obesidade têm maior risco de serem diagnosticadas com câncer de mama em comparação com as mulheres que mantêm um peso saudável, especialmente após a menopausa. O excesso de peso também pode aumentar o risco de retorno do câncer de mama (recorrência) em mulheres que tiveram a doença.

Histórico de gestação

Mulheres que não tiveram uma gravidez a termo ou que tiveram seu primeiro filho após os 30 anos apresentam maior risco de câncer de mama em comparação com as mulheres que deram à luz antes dos 30 anos de idade.

Amamentação

A amamentação pode reduzir o risco de câncer de mama, especialmente se uma mulher amamentar por mais de 1 ano.

Histórico menstrual

As mulheres que começaram a menstruar antes dos 12 anos têm maior risco de câncer de desenvolver câncer de mama na vida. O mesmo é verdade para as mulheres que passam pela menopausa quando têm mais de 55 anos.

Consumo álcool

A pesquisa mostra consistentemente que ingerir bebidas alcoólicas – cerveja, vinho e licor – aumenta o risco de uma mulher de  desenvolver câncer de mama com receptor de hormônio positivo.

Falta de exercício

As pesquisas mostram um vínculo entre o exercício regular em um nível moderado ou intenso de 4 a 7 horas por semana e um menor risco de câncer de mama.

Cigarro e Tabaco

Fumar causa uma série de doenças e está associado a um maior risco de câncer de mama em mulheres mais jovens e mulheres na pré menopausa.

Baixos níveis de vitamina D

Pesquisas sugerem que mulheres com baixos níveis de vitamina D apresentam maior risco de câncer de mama. A vitamina D pode desempenhar um papel no controle do crescimento normal de células mamárias e pode impedir que as células de câncer de mama cresçam.

Comer alimentos não saudáveis

A dieta é considerada responsável por cerca de 30% a 40% de todos os tipos de câncer. Nenhum alimento ou dieta pode impedir que você tenha câncer de mama. Mas alguns alimentos podem tornar o seu corpo mais saudável, aumentar o seu sistema imunológico e ajudar a manter seu risco de câncer de mama tão baixo quanto possível.

Exposição aos produtos químicos em cosméticos

A pesquisa sugere fortemente que, em certos níveis de exposição, alguns produtos químicos em cosméticos podem contribuir para o desenvolvimento de câncer em pessoas.

Exposição a produtos químicos em alimentos

Existe uma preocupação real de que pesticidas, antibióticos e hormônios utilizados nas culturas e gado possam causar problemas de saúde nas pessoas, incluindo o aumento do risco de câncer de mama. Também há a preocupação sobre o mercúrio em produtos hortícolas, produtos químicos industriais em alimentos e embalagens alimentares.

siga-nos no facebook
Fale Conosco pelo WhatsApp
Siga-nos no nosso programa de instalação